quarta-feira, 9 de setembro de 2009

A Face Escura da Vida

M: L, realmente me deseja?
L: Sabe que sim, mesmo...
M: Mesmo assim, desfigurado?
L: Quero sentir o seu cheiro, quero sentir a textura de sua pele, quero você.
M: Se é isso, tome a faca! Se me anseia, use a faca em seu rosto e deixe ele com cicatrizes profundas.
L: E desse modo que você me ama?
M: Não foi fácil o acidente, não foi fácil tirar as ataduras de meu rosto e vê-lo deformado. Não é fácil ver o seu, nítido. Tenho ciúmes!
L: Isso não provará o quão gosto de você. Apenas vai me fazer sofrer!
M: E eu, eu já sofro! Você vai continuar olhando meu rosto enquanto transa comigo? Vai ter tesão?
L: Vou olhar em seus olhos, dentro deles. Eles continuam os mesmos.
M: Não vou supotar este estirpe. Me agoniza, não consigo me ver no espelho, não consigo me direcionar à sua face! Faça isso, seja como eu, me ame! Pegue a faca.

Narrador: Então L tomou a faca entre as mãos...

Um comentário:

  1. O comentário não aparece? Que medo! Sua narrativa (e seu blog) têm vida própria!

    ResponderExcluir